Rádio

Rádio

Rádio SC

Seguidores

sábado, agosto 19, 2017

EM BREVE O TEMA ESTARÁ LIBERADO!

10- Igreja e Sociedade

Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2017
Editora: CPAD

Revista do Professor
TEXTO BÍBLICO
Atos 2.42 – 46; 4.32-37
Destaque
"Portanto, a fé é assim: se não vier acompanhada de ações, é coisa morta" (Tg 2.17).
LEITURA DEVOCIONAL
SEG.....................................Dt 15.11
TER.......................................Is 1.17
QUA..................................Jr 34.8-11 
QUI................................Lc 14.12-14
SEX...............................Mt 25.34-36
SÁB......................................Sl 41.1
DOM....................................Tg 2.17
Objetivos
- Conscientizar o respeito de missão social como Igreja do Senhor, - Mostrarque, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, há uma preocupação com os necessitados.
- Ensinar que, como Filhos de Deus temos um compromisso com Ele e com o nosso próximo.
QUEBRANDO A ROTINA
Professor, reproduza o quadro abaixo. Em classe, distribua-o e converse com seus alunos, apresentando o tema da aula de hoje. Diga o quanto este assunto é atual e relevante. Reforce a ideia de que fé e ação devem caminhar lado a lado. Peça a um aluno que leia Tiago 2.17. Explique depois que a fé cristã exige ação. Nossa fé é evidenciada por intermédio das nossas obras, em seguida, peça aos alunos que citem ações que podemos realizar como Igreja de Cristo que evidenciam a nossa fé e o nosso amor cristão. À medida que eles forem falando, vá completando o quadro.
Evidenciando a fé cristã.
ESTUDANDO A BÍBLIA
Prezado professor, a lição de hoje trata a respeito da nossa responsabilidade social. Como Igreja do Senhor, temos como missão a evangelização mundial e o serviço social. O amor de Deus em nós e o nosso desejo de servi-Lo nos leva a cumprir esta missão com dedicação. Se amarmos a Deus, amaremos o próximo. Como Filhos de Deus, temos um compromisso com Ele e com o nosso próximo. Veremos que a pregação da Palavra de Deus, o ensino da doutrina, a oração e o serviço social eram as colunas da igreja do primeiro século.

Precisamos pregar o Evangelho a toda a criatura, mas não basta pregarmos e deixarmos que as pessoas sofram com a barriga vazia. Precisamos ajudar os órfãos, as viúvas, os necessitados. Amor não se demonstra só com palavras, é preciso ação. Assim sendo, façamos o bem a todos enquanto é tempo. Vivemos num país de grandes contrastes sociais. Será que em sua classe não existem jovens carentes que necessitam do seu socorro?

A JUSTIÇA SOCIAL DIVINA
Brasil é um país de grandes contrastes sociais. Grande parte da população ainda sofre sem ter acesso a uma educação de qualidade, moradia digna, saúde, transporte público de qualidade, emprego, etc. Existe tanta carência que foi preciso que o governo criasse vários programas assistenciais. Pagamos impostos, por isso, saneamento básico, educação de qualidade, bons hospitais são direitos nossos. No entanto, como igreja, também temos uma responsabilidade social, uma missão a cumprir. Não podemos fechar os nossos olhos para a nossa missão social e esperar que somente o governo faça a sua parte. Precisamos dar prosseguimento à obra social iniciada pelo Senhor Jesus. O Salvador se preocupava com a condição espiritual das pessoas e com as suas necessidades materiais também. Ele olhava o homem como um todo, procurando satisfazer todas as suas necessidades (Jo 10.10).

No Antigo Testamento, também havia uma preocupação com os necessitados. Temos um Deus que se preocupa com a justiça social. Em Deuteronômio 15.7-10, o Senhor ensina aos israelitas, e também a nós, que não devemos fechar a nossa mão, ou seja, precisamos agir em favor dos necessitados.
Deus ordenava aos ricos que não desprezassem os pobres. Como vivem os carentes em sua comunidade? O que sua igreja e você têm feito para ajudá-los? O povo de Deus não poderia deixar de atender os órfãos, as viúvas e os estrangeiros em suas necessidades (Êx 22.22; Dt 10.18; 14.29). Às vezes, não precisamos ir muito longe para encontrar pessoas carentes. Em nossa classe de Escola Dominical, temos colegas que não têm o dinheiro da passagem para vir aos cultos e ensaios, e o que podemos fazer?
Fechar os olhos diante da necessidade de nossos irmãos ou ajudá-los?
Nossa missão não diz respeito somente a pregar a salvação, pois as pessoas têm necessidades básicas como comer, vestir, ter um lugar para morar. Nossa missão é socorrer homens e mulheres no seu todo, ou seja, cuidar do corpo, da alma e do espírito.
AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, para introduzir o primeiro tópico da lição, faça a seguinte indagação: "Nossa missão como Igreja do Senhor diz respeito apenas a pregar a salvação?" Ouça seus alunos com atenção. Para embasar biblicamente a discussão, leia e refuta a respeito do seguinte texto: "[...] A propriedade privada é um dom de Deus para ser usado com o propósito de estabelecer a justiça social e cuidar do pobre e do necessitado. O ladrão arrependido é orientado a não mais roubar, mas sim trabalhar com as mãos e assim ganhar o sustento e ‘para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade’ (Ef 4.28). Poucos temas nas Escrituras se evidenciam de forma tão direta e clara do que as ordens de Deus para que nos preocupemos com os menos afortunados. "Aprendei afazer o bem', Deus brada, 'praticai o que é reto; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas' (Is 1.17). Através do mesmo profeta, Deus anuncia que o verdadeiro jejum não é ritual religioso vazio: 'Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres desterrados? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne?' (Is 58.7). Jesus aprofunda nosso sentimento de responsabilidade, falando que ao ajudarmos o faminto, o desnudo, o doente e o encarcerado, estamos na verdade, servindo-o (Mt 25.31-46)" (COLSON, Charles; PEARCE/, Nancy. E Agora, Como Viveremos? 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2000 pp. 454,55).

JUSTIÇA SOCIAL NO NOVO TESTAMENTO
Jesus, o Filho de Deus, sempre olhou atentamente para os pobres. Quando Ele veio ao mundo, a Palestina enfrentava graves problemas sociais e econômicos. Muitos procuravam a Jesus para ter o que comer (Jo 6.26); porém, Ele acolhia a todas as pessoas, sem fazer distinção alguma. Cristo expulsava os demônios, curava os enfermos, anunciava a mensagem da salvação e ajudava os carentes. Jesus veio ao mundo por amor (Jo 3.16). E o amor de Deus em nossos corações que nos leva a cumprir a nossa missão social. Sem amor, nada podemos fazer. É por isso que a Palavra de Deus nos ensina a buscar o amor como um dom supremo (1Co 13). O Mestre era movido pelo amor e quem tem a Jesus como Salvador apresenta um amor altruísta. Quem não se compadece dos necessitados ainda não tem o amor de Deus em seu coração (l Jo 3.17,18). Como cristãos, temos um compromisso com Jesus e com o nosso próximo (Mc 12.30,31). Não basta amar de palavras. Quem ama deve demonstrar seu amor em gestos, atitudes. Sabemos que ninguém será salvo mediante as obras sociais (Ef 2.9); entretanto, isto não é desculpa para não se fazer nada. A epístola de Tiago nos ensina que a fé sem obras é morta (Tg 2.14-26). Se tivermos fé em Deus, temos que evidenciar a nossa fé mediante as nossas ações. Não basta apenas dizermos que cremos em Deus.

AUXÍLIO DIDÁTICO
Explique aos alunos que amar ao próximo (Mc 12.31) implica em: socorrer os necessitados; serviço social; filantropia e justiça social.
"[...] O Senhor Jesus ressurreto deixou a Grande Comissão para a sua Igreja: pregar, evangelizar e fazer discípulos. E esta comissão é ainda a obrigação da Igreja. Mas a comissão não invalida o mandamento, como se 'amarás o teu próximo' tivesse sido substituído por 'pregarás o Evangelho'. Nem tampouco reinterpreta amor ao próximo em termos exclusivamente evangelísticos" (STOTT, John R. W. Cristianismo Equilibrado. 3 ed. Rio de janeiro: CPAD, 1995, p. 60,61).

A RESPONSABILIDADE SOCIAL DA IGREJA NO PRIMEIRO SÉCULO
"Vendiam as suas propriedades e outras coisas e dividiam o dinheiro com todos, de acordo com a necessidade de cada um" (At 2.45). A igreja primitiva não somente evangelizou Jerusalém e alcançou as nações do seu tempo, os irmãos também atendiam os carentes. No Pentecostes, todos foram cheios do Espírito Santo e muitos sinais e prodígios passaram a ser feitos por intermédio dos apóstolos (At 4.30). Pregação, milagres e serviço social necessitam caminhar juntos. Coisas maravilhosas aconteciam entre os crentes e os corações se enchiam de fé e muitas pessoas eram salvas (At 4.31; 6.7). Todos viviam unidos e os crentes vendiam o que tinham e repartiam o dinheiro uns com os outros (4.32). Os irmãos primitivos tinham cuidado para que ninguém passasse por privações (At 4.35). Quem tinha terras ou casas às vendiam e traziam todo o dinheiro aos apóstolos (At 4.34). Estes eram os responsáveis em distribuir os bens com os necessitados da nova comunidade. A Bíblia conta que Barnabé, homem da tribo de Levi, vendeu uma propriedade e doou todo o dinheiro (At 4.36,37). Você tem partilhado o que possuiu com os seus irmãos? Quando realmente amamos o nosso próximo, deixamos de lado todo egoísmo e oferecemos o que a pessoa necessita. Às vezes, as pessoas não necessitam somente de roupa, casa e comida, mas também de afeto, de carinho, de um ombro amigo. Você também está disposto (a) a doar afeto?

AUXILIO DIDÁTICO
Professor, leia com os alunos o texto bíblico de Atos 4.34. Em seguida, discuta o texto bíblico e faça a seguinte indagação: "Por que as ofertas eram depositadas aos pés dos apóstolos?" Para responder esta questão, leia com atenção o que nos diz Matthew Henry: "Eles o depositavam aos pés dos apóstolos, para que estes dispusessem dos valores como julgamento adequado. Provavelmente tiravam o sustento disso, pois de onde mais teriam provisão? Veja que os apóstolos recebiam os valores aos seus pés, em sinal do desprezo santo que davam às riquezas do mundo. Achavam mais apropriados que os valores fossem depositados aos pés do que em suas mãos ou no seu peito. Sendo depositado aos seus pés, o dinheiro não se acumulava, mas era repartido, por pessoas preparadas para isso, segundo a necessidade que cada um tinha" (HENRY, Matthew. 1 ed. Comentário Bíblico Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, pp. 44,45).

AVIVAMENTO E RESPONSABILIDADE SOCIAL
A igreja de nossos dias precisa de um avivamento. Necessitamos ser cheios do Espírito Santo afim de que possamos transformar a nossa sociedade mediante o poder de Deus, que é aquEle que cura, salva, batiza com o Espírito Santo e tem poder para transformar toda e qualquer realidade social e econômica. Os crentes do primeiro: século, mesmo sendo duramente perseguido pelas autoridades, mudaram a história de sua comunidade. Nós, cristãos dos dias de hoje, o que temos feito?

Quando estudamos o livro de Atos e a história da igreja primitiva, percebemos que ela estava alicerçada sobre três pilares importantes (At 2.42): a doutrina dos apóstolos, o partir do pão e as orações. Então vejamos: Doutrina dos apóstolos. Doutrina significa "ensino bíblico sistemático". Os apóstolos receberam de Jesus as verdades fundamentais da fé cristã e deveriam ensinar estas verdades aos novos seguidores de Cristo. Os cristãos do primeiro século não descuidaram do ensino bíblico, pois é essencial para uma vida cristã saudável. Atualmente, temos visto muitas heresias, muitos cristão fracos na fé, pois muitos não priorizam mais o estudo das Sagradas Escrituras. A Bíblia é a nossa regra de fé e conduta. Ela é o nosso alimento e tem poder de transformar o coração dos que a ouvem, pois a fé vem pelo ouvira Palavra de Deus (Rm 10.17). Para pregar a Palavra de Deus, precisamos conhecê-la. Então, não descuide do estudo bíblico e priorize a Escola Dominical.

Partir do pão.
Essa expressão se refere tanto à Ceia do Senhor como as refeições que faziam em comum. Como Igreja do Senhor, precisamos partir o pão material e o pão espiritual, que é Cristo, com os carentes e necessitados. A igreja não pode ficar restrita a quatro paredes. Precisamos sair e anunciar o amor de Cristo aos necessitados. Sua igreja faz a diferença na comunidade, ou ninguém sabe da existência dela?
Orações. Os crentes perseveraram na oração. Oração e avivamento espiritual caminham juntos. Se quisermos experimentar um grande avivamento como no dia de Pentecostes (At 1.4,5; 2.1; 3.1), necessitamos orar mais. Você tem orado por um avivamento espiritual em nossa nação?
Ore por sua vida espiritual, por sua igreja e pelo seu país. Peça ao Senhor para que envie um grande avivamento espiritual e que, como resultado deste avivamento, muitas almas sejam salvas e os carentes recebam ajuda. O que você acha da igreja construir não somente templos, como também hospitais, escolas, asilos e creches? Deixe de lado todo o egoísmo e ajude os que estão sofrendo. Lembre-se: Se somos realmente Igreja, necessitamos ser "sal" fora do saleiro.

RECAPITULANDO
Quem ama a Deus ama também o seu próximo e procura ajudá-lo em suas necessidades. A fé sem as obras é morta. Se tivermos fé, precisamos evidenciá-la mediante as nossas ações. Então, "façamos o bem a todos" (Gl 6.10) enquanto podemos. Que possamos seguir o exemplo dos nossos irmãos da igreja do primeiro século, anunciando o Evangelho de Cristo e ajudando os necessitados em suas dificuldades (At 6.1-7).

Refletindo
1. De acordo com a responsabilidade social da igreja do primeiro século, qual a responsabilidade da igreja de hoje frente aos desafios sociais?
R: A igreja tem a responsabilidade de pregar e ensinar a Palavra de Deus, bem como ajudar os carentes e necessitados.

2. Correlacione avivamento e responsabilidade social.
R: Necessitamos ser cheios do Espírito Santo a fim de que possamos transformar a nossa sociedade mediante o poder de Deus, que é aquEle que cura, batiza no Espírito Santo e tem poder para transformar o homem.
3. Qual a sua missão de vida?
R: Resposta pessoal.
Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 3° trimestre de 2017, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD


Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2017
Editora: CPAD
Revista do Professor
TEXTO BÍBLICO
Salmos 33.12
Destaque
"Orem pelos reis e por todos os outros que têm autoridade, para que possamos viver uma vida calma e pacífica [...]" (1Tm 2.2).
LEITURA DEVOCIONAL
SEG...................................At 15.6,25-28
TER......................................Dn 6.4,5
QUA......................................Êx 18.13-27 QUI......................................Êx 25.22
SEX...................................1Sm 8.6-18,22
SÁB.....................................Sl 33.12
DOM....................................Pv 28.12
Objetivos
- Conscientizar de que precisamos, como cristãos, estar informados a respeito da vida política do nosso país.
- Conhecer o significado de política.
- Explicar o que é um governo teocrático.

Material Didático
Professor, seria interessante se você pesquisasse e levasse para a classe recortes de revistas e jornais cujo tema são escândalos na política.

Quebrando a Rotina
Prezado professor, para a aula de hoje, sugerimos que você promova um debate. Divida a turma em dois grupos. Escreva no quadro as questões que serão debatidas. Cada grupo ficará com urna questão. Dê um tempo para que cada grupo discuta a questão. Depois, peça que os alunos formem um só grupo em círculo e que a conclusão a que chegaram seja exposta a todos. Ouça os alunos com atenção e faça as considerações que achar necessárias, porém permita que eles fiquem à vontade para expor suas ideias sem constrangimento algum. Precisamos ouvir e saber o que nossos alunos pensam para podermos atendê-los e ajudá-los em suas duvidas.
Questões para serem debatidas:
 "Como os cristãos devem agir diante de candidatos que se dizem crentes, mas que pertencem a partidos que defendem o aborto, a legalização das drogas e ideologias que ferem os princípios da Palavra de Deus?"
A Igreja do Senhor deve ter ou indicar candidatos políticos?"

ESTUDANDO A BÍBLIA
Prezado professor, você é a favor de que o crente faça parte dos vários segmentos da nossa sociedade? Você tem que concordar que não é possível viver em sociedade e não envolver-se ou estar atento às questões políticas. O mundo está sob a influência de Satanás, o deus do presente século (2 Co 4.4), por isso mais do que nunca precisamos de homens crentes compromissados com a ética e desejosos de fazer política e não politicagem.
Deus levantou vários homens para conduzir seu povo. Moisés foi um desses. Ele foi indicado para cuidar dos interesses dos israelitas e conduzi-los a Terra Prometida. O interesse de Moisés era o bem-estar do seu povo. Quando ele foi levantado como líder, a voz que se ouvia era a de Faraó, a voz da tirania. Faraó era quase um deus. Até hoje o Egito vem sofrendo com a tirania de seus governantes. Recentemente o país sofreu um golpe militar e o presidente eleito pelo voto direto foi deposto e preso. Moisés veio para quebrar o julgo que era imposto ao seu povo e trazer libertação.

COMO ESTÁ A POLÍTICA EM NOSSO PAÍS
Você está satisfeito com a vida política do nosso país? Temos visto maus exemplos, muita coisa errada; apesar disso, política faz parte de toda sociedade organizada. A situação está tão difícil que foi preciso criar uma lei para proibir que políticos que, por ventura, tenham sido condenados por órgãos colegiadas possam disputar novos cargos eletivos. E a chamada Lei da Ficha Limpa. Temos visto muitas atitudes negativas envolvendo parlamentares. Mesmo assim, existem muitos vereadores, deputados e senadores íntegros e que estão fazendo um excelente trabalho em prol da nossa nação.
Durante muito tempo, os cristãos procuraram ficar afastados da vida pública e política. Porém, na Bíblia, não faltam exemplos de homens e mulheres que se destacaram na vida pública fazendo o bem para o seu povo. Tomemos como modelo a juíza Débora, José e Daniel. O jovem Daniel serviu a vários reis ímpios como, por exemplo, Nabucodonosor, Belsazar e Dario, porém, ele manteve-se fiel a Deus e demonstrou possuir um caráter ilibado (sem mancha) em sua trajetória política. Certa vez, Daniel se tornou alvo de uma conspiração cruel (Dn 6.4,5), todavia, Deus o livrou das muitas ciladas da vida palaciana. Atualmente também não é diferente, pois existem muitos parlamentares sérios que estão sendo alvo de confabulações políticas mentirosas para prejudicar o trabalho que vem fazendo. Nem todas as denuncias de fraude e corrupção que saem na mídia são verdadeiras.

AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, atualmente ouvimos muito a palavra CPI nos noticiários. Entretanto, você sabe o que é e para que serve uma? Observe o texto abaixo e se informe melhor a respeito do tema. Em classe, você pode perguntar aos alunos se eles já ouviram este termo e sabem o que ele significa.
CPI?
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) é um organismo de investigação e apuração de denúncias que visa proteger os interesses da coletividade (da população brasileira). A CPI é uma investigação conduzida pelo Poder Legislativo (Câmara de Deputados Federais e Estaduais ou Vereadores), que transforma a própria Câmara Parlamentar numa comissão, que é nomeada pelos membros da Câmara; sendo assim, a comissão vai agir em nome da instituição, realizando um inquérito ou uma investigação. Concluída, a CPI aponta ou não os culpados e suas penas.

A CPI possui acesso ao funcionamento da máquina burocrática, analisa a gestão do bem público e toma medidas necessárias para sua correção e punição dos culpados, caso algo esteja realmente errado.

CPI pode ter comissões formadas por apenas deputados (no caso de CPI em âmbito federal), apenas por senadores ou mistos,
que envolvem ambas as casas" (texto extraído de http://www.brasi-lescola.com/politica/ cpi.htm. Acessado em 06/07/2014).

O QUE É POLÍTICA
Você sabe a origem desse termo? "O vocábulo 'política' vem do grego, polis, cidade-Estado". Significava a vida em sociedade. Autores definem "política como a ciência do Estado". Outros como a "ciência do poder". Na verdade, somos todos políticos. Não existe na face da Terra uma pessoa ou nação que seja isenta de política, ou seja, apolítica, mesmo que não se goste dela.

O filósofo Aristóteles já dizia que o homem é um "animal político". A política tem como objetivo nobre a felicidade humana, preocupando-se com a felicidade individual (do homem em si) e a coletiva (do homem na cidade), e como ciência, estuda as várias formas de governo, bem como seus planejamentos que são capazes de assegurar uma vida mais agradável a todos cidadãos.

Até na igreja a política está presente (At 15.6, 25-28). Será? Contudo, o que temos visto em nossa sociedade é a chamada "politicagem". Homens legislando em benefício próprio ou do seu partido. Para estes, os interesses dos cidadãos que os elegeram não importam. A Bíblia já nos adverte: "Quando os justos triunfam, há grande alegria; mas, quando os ímpios sobem, os homens escondem-se" (Pv 28.12 - ARC).

AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, para aprofundar seus conhecimentos a respeito do termo política, observe as definições de Aristóteles a respeito do termo. "Segundo o filósofo grego Aristóteles, a política é a ciência que tem por objetivo a felicidade humana e divide-se em ética (que se preocupa com a felicidade individual do homem na Cidade-Estado, ou polis), e na política propriamente dita (que se preocupa com a felicidade coletiva). A política situa-se no âmbito das ciências práticas, ou seja, as ciências que buscam conhecimento como meio para a ação. A política é tudo o que se relaciona à busca de ações para o bem estar tanto individual como coletivo" (extraído de http:// www.brasilescola.com/politica/cpi.htm. Acessado em 06/07/2014).

A POLÍTICA NA BÍBLIA
No primeiro livro da Bíblia, Gênesis, vemos que, no jardim do Éden, só existia uma forma de governo, a teocracia. Deus, o Criador, era o único a governar a Terra. No entanto, o Todo-Poderoso delegou a Adão algumas atribuições para que este pudesse representá-lo aqui na Terra. Era Deus governando por intermédio do homem (Gn 1.28). Entretanto, no capítulo três do livro de Gênesis, temos o triste retrato da Queda de Adão. Com a Queda, vieram as mazelas que tanto atormentam os governos até hoje: guerras, terrorismo, pobreza, desigualdade social, etc. Deus é santo (Lv 19.2) e não poderia compactuar com a corrupção do gênero humano (Gn 6). Ele sempre esteve atento ao modo de proceder de suas criaturas. A forma encontrada pelo Senhor para limpar toda a sujeira e corrupção foi através das águas do dilúvio (Gn 7). Deus, na sua infinita bondade e misericórdia, não abandona o homem à própria sorte, mas estabelece uma nova aliança, um concerto (Gn 9.9-17). O homem recebe uma nova chance de continuar sendo governado pelo Senhor.

AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, você sabe o significado do termo "teocracia"? Então, observe com atenção o texto a seguir: "Este termo, significando o governo de Deus', geralmente se refere ao governo literal de Deus, ou a um estado governado de uma forma agradável a Ele. A palavra não é de origem bíblica, mas a ideia de Deus sendo governante do seu povo é básica no pensamento do Antigo Testamento. Josefo parece ter sido o primeiro a utilizar o termo. Ele contrastou a teocracia com outras formas de governo, como por exemplo, a oligarquia, a monarquia e a república. Teoricamente, a teocracia seria um estado sob o qual Deus governa diretamente sem a mediação do homem ou de representantes. Israel nunca foi uma verdadeira teocracia, no sentido literal do termo. Embora Israel tenha sempre se considerado como estando sob o governo de Deus, este governo sempre foi mediado por um rei ou um sacerdote. No sentido político, uma teocracia só seria possível durante os tempos independentes de Israel. Quando Israel se tornava um estado escravizado ou uma província de alguma potência estrangeira, como o Egito, a Assíria, a Grécia ou Roma, o governo de Deus só poderia ser espiritual" (Dicionário Bíblico Wycliffe, 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 1909.)

UMA NOVA FASE POLÍTICA
Ao estabelecer uma aliança com Abraão, Deus dá inicio à nação de Israel. Uma nova fase política estava sendo instaurada, a era patriarcal. Deus estaria abençoando as nações e governando através do seu povo (Gn 12.1-3). Porém, tempos de "vacas magras" estavam porvir. A terra experimentaria a es­cassez. Para garantir a sobrevivência do seu povo, Deus coloca um jovem hebreu no poder. Esse jovem é José. Ele desempenha um excelente papel político. Porém, o tempo passou. Outro jovem hebreu não subiu ao poder e o povo que havia crescido acabou experimentando um novo regime de governo. A política agora era outra. Os hebreus passaram a ser escravizados pelos egípcios. O povo de Deus perdeu todos os seus direitos políticos. A liberdade havia acabado. Porém, Deus não deixou seu povo entregue à tirania de Faraó e aos seus planos de extermínio (Êx 1.15-17). O Senhor levantou um grande estadista, um líder para libertar o seu povo. Moisés, sob a liderança de Deus, derrotou os opressores. Assim, o Senhor revela-se ao seu povo como o Grande Libertador.

Moisés torna-se o líder dos hebreus. Mas, com o passar dos anos, não aguentaria mais governar sozinho. Jetro, sogro de Moisés, dá uma aula de descentralização administrativa e de poder (Êx 18.13-27). Moisés nomeia homens para ajudá-lo na tarefa de governar. Esses homens seria chamados de governadores e ministros. Deus era quem governava a nação (Êx 25.22). Ele exercia os poderes do Estado (Legislativo, executivo e judiciário) através de uma liderança levantada por Ele.

MONARQUIA, UMA NOVA FORMA DE GOVERNO

Os israelitas resolvem imitar as outras nações e pedem a Deus um rei (1Sm 8.5). O Senhor atende ao pedido de seu povo, sem antes alertar a todos do risco e encargos que teriam (1Sm 8.6-18,22).Com o passar dos anos, podemos ver os acertos e erros, registrados nas Escrituras, dos governantes do povo de Deus. Quando homens tementes ao Senhor assumiam o “poder”, o povo ia bem, mas quando eram os que não estavam “nem aí” para o Senhor, o povo todo sofria (Pv 28.12). Dá para perceber como a política é algo importante. Como cristãos, precisam orar e pedir que o Pai levante candidato que sejam compromissados com Ele e com bem da nossa nação. Você tem orado pelos políticos de nosso país? Precisamos orar e vigiar na hora de escolher nossos representantes. Saiba que não basta votar em alguém somente pelo fato de ser membro de uma igreja. Sabemos que o trigo e o joio estão lado a lado e são muito parecidos (Mt 13.38). É preciso examinar tudo e apenas ficar com o que é realmente bom (1Ts 5.21).Existem homens que estão a serviço do Diabo. Ele usam a política para realizarem seus interesses perversos. Por isso, antes de exercer seu direito de votar, o crente deve orar a Deus, pedindo a sua direção. Um voto errado ou nulo pode trazer muitos prejuízos para todo o povo de Deus.

Recapitulando
Como "sal da terra" e "luz do mundo", precisamos ser vigilantes e escolher nossos candidatos com muita sabedoria. A política é algo sério e não dá para viver sem ela.

Refletindo
1. Após o estudo dessa lição, o que você compreendeu de política?
R: A política faz parte da nossa vida em sociedade.
2. Contextualize a política na Bíblia, de acordo com a lição.
R: Para responder esta questão, leia com atenção o tópico "a política na Bíblia".
3. Para você, é possível o crente ser político e fazer a diferença política?
R: A bíblia nos mostra que é possível ser crente e fazer a difere na política.

Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 3° trimestre de 2017, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD

Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2017
Editora: CPAD

Revista do Professor
TEXTO BÍBLICO
2 Timóteo 3.1,2
Destaque
"Alguns dizem assim: 'Podemos fazer tudo o que queremos'. Sim, mas nem tudo é bom. 'Podemos fazer tudo o que queremos', mas nem tudo é útil" (1Co 10.23).

LEITURA DEVOCIONAL
SEG......................................Pv 8.13
TER......................................Ap 3.16
QUA....................................Jo 10.10 
QUI..................................1Co 10.23
SEX...................................1Co15.33
SÁB....................................Pv 17.17
DOM.................................1Co 10.23
Objetivos
- Mostrar que as redes sociais não são boas ou más, depende do uso que fazemos delas.
- Enfatizaras perigos das redes sociais
- Demonstrar os benefícios das redes sociais
Material Didático
Professor, paro ministrar uma boa aula, é preciso que você tenha domínio do conteúdo. Para tal, antes de tudo o mais, faça uma boa
pesquisa bibliográfica. Para a aula de hoje, sugerimos que você leia
a parte cinco do livro Pronto — Cresci! E agora, da CPAD.
Se possível, providencie um computador ou tablete que tenha conexão com a internet.

Quebrando a Rotina
Nesta aula, sugerimos que você e seus alunos criem um perfil no facebook para a turma, ou então um blog. Caso você não saiba como fazer, não se sinta envergonhado de pedir a ajudados dos seus alunos, pois eles sem dúvida, já são especialistas no assunto. O objetivo é utilizar o espaço para discutir os conteúdos das lições.

Aproveite para fotografar as atividades que forem realizadas na classe e também para postá-las nas redes. Aproveite o tema e convide algum especialista nesta área para falar com os pais a respeito dos riscos e benefícios das redes sociais. A medida que os pais ficam mais informados a respeito do tema, eles ficam mais seguros e se sentem mais à vontade para deixar que os jovens participem das redes sociais.  É importante conversar com os pais e ressaltar que eles devem determinar regras quanto ao horário e tempo de uso da internet.

Estudando a bíblia
Vivemos num mundo mau, onde o amor está esfriando. Basta olhar os noticiários para ver a que ponto a maldade humana chegou. Neste mundo tenebroso, os adolescentes vêm sofrendo toda a sorte de violência. Os casos de abuso contra a criança e o adolescente, seja no mundo real ou virtual, aumentam a cada dia. Precisamos orar pelos jovens do nosso país, do nosso estado e da nossa classe. Seus alunos precisam da proteção e do cuidado de Deus, porém eles também precisam ser informados dos benefícios e dos perigos encontrados nas redes sociais. Durante a semana, interceda, junto ao Pai, pela vida e família de cada aluno. Lembre-se de que: "a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos" (Tg 5.16).

NA REDE
Você consegue imaginar um jovem que não esteja conectado ao Facebook, Twitter, Instagram? Não conseguimos nem imaginar, pois nunca o acesso às redes sociais foi tão amplo. Hoje, elas são um fenômeno social e acabaram se tornando um espaço bem democrático e até ajudaram a quebrar alguns tabus nas igrejas. Entretanto, quando o assunto é internet, geralmente os pais e os pastores ainda ficam muitos preocupados, e não é para menos. Certa vez, um jovem desesperado chegou a pedir: "Por favor, diga para os meus pais que não é pecado usar a internet e estar nas redes sociais. Você é professora e com certeza eles vão ouvi-la." Seus pais ficam preocupados com suas atividades online? Se sim, então fique feliz, pois é uma prova de que o amam e se preocupam com você.  Basta olhar os noticiários para ver quanta coisa ruim está acontecendo. É claro que o cristão pode utilizar as redes sociais. Não podemos exagerar e dizer que é pecado! Aliás, você não vai encontrar na Bíblia nenhum texto bíblico que fale a respeito deste assunto, pois é uma atividade da vida moderna. Por não conhecerem o universo online, muitas pessoas acabam tendo um excesso de zelo, preocupação, e acabam enxergando somente os aspectos negativos do mundo virtual. Houve um tempo em que o rádio também foi muito criticado, e algumas igrejas proibiam seus membros de ouvi-lo. Tudo que é novo assusta. Apesar disso, como cristãos, devemos evitar todo e qualquer radicalismo. Devemos ser prudentes, equilibrados em nossas atitudes, palavras e até pontos de vista. Com as redes sociais não é diferente, precisamos utilizá-las com sabedoria, prudência e equilíbrio. A cada dia, o número de brasileiros online vem aumentado e grande parte deste número é de jovens como você. Como estes adolescentes estão se comportando nas redes sociais? Como você se comporta? O problema não são as redes sociais, e sim como as pessoas se comportam nelas.
AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, segundo uma pesquisa realizada pelo Comité Gestor de Internet no Brasil, "73% das crianças e adolescentes acessaram redes sociais em 2012". O número de jovens conectados vem crescendo assustadoramente. Outro estudo realizado pelo Comité "mostrou que as redes sociais são os principais chamarizes para os mais jovens, depois dos estudos". Por isso, temos visto que muitas escolas já estão utilizando o Facebook e os blogs como um recurso de ensino a fim de que os alunos discutam os conteúdos das aulas. Porque não utilizar na Escola Dominical este recurso que os jovens tanto gostam para que aprendam a Palavra de Deus?

PERIGOS!
Um dos muitos perigos que queremos chamar a sua atenção está no fato de que muitos jovens acabam se expondo demais. Além das fotos e vídeos que postam, acabam também mostrando seus sentimentos. Isso não é bom. O Facebook não é a sala de visitas da sua casa. Nem todos que acessam ao seu Facebook, Twitter ou Instagram são realmente seus amigos e querem o seu bem. Há pessoas que estão lá apenas para tomar conta da vida dos outros, criticar, distorcer suas palavras, espionar e julgá-lo. Nas redes, existem pessoais boas e más. Existem crentes, servos de Deus e satanistas. Alguns, além de bisbilhotar a vida alheia, acabam também espalhando comentários maldosos. Às vezes, você f az um comentário inocente, e daí as pessoas mail-intencionadas deturpam suas palavras e atribuem a você palavras e atitudes que não são suas. Quantos já não foram vítimas de calúnias nas redes? Precisamos ter cuidado com os mexeriqueiros, pois esta não é uma prática nova; mesmo assim, hoje, com as redes, um comentário maldoso tem proporções devastadoras. A Bíblia nos adverte: "Não ande espalhando mentiras no meio do povo, nem faça uma acusação falsa que possa causar a morte de alguém [...]" (Lv 19.16).

Infelizmente, pessoas utilizam indevidamente as redes sociais para espalhar mentiras e boatos. As palavras ferem e podem causar a morte. Saiba que Senhor aborrece a boca perversa (Pv 8.13). Tome cuidado e procure evitar fofocas e conversas indevidas. A Palavra de Deus declara que não devemos nos enganar quanto a assuntos que, a princípio, parecem nos despertar curiosidade, mas que, na verdade, "corrompem os bons costumes" (1 Co 15.33-ARC).
Não saia compartilhando ou curtindo qualquer coisa que achar engraçada. Às vezes, até pode ser "engraçado", mas é algo preconceituoso que fere os princípios bíblicos. Você precisa estar atento às mensagens que publica em seu perfil.

Outro perigo que podemos constatar é a diminuição do diálogo familiar. Muitos jovens já não conversam como deveriam com seus pais e irmãos, pois o tempo que sobra é gasto nas redes sociais. Solange Jobim e Souza, em sua obra Subjetividade em Questão, diz que "nos lares de hoje as famílias não mais contam suas histórias. O convívio familiar se traduz na interação muda entre as pessoas que se esbarram entre os intervalos dos programas da TV e o navegar através do éden eletrônico as infovias." Você concorda com o pensamento dessa autora?

Podemos ter milhares de amigos virtuais, podemos estar conectados às redes; porém, temos que investir nos relacionamentos em família e com amigos reais.

Vejamos o último perigo: O fato de que alguns adolescentes e jovens, e até mesmo crianças, acabem se viciando. O vício faz com que não estudem mais como deveriam, fazendo até mesmo com que alguns sejam reprovados. Conhece algum caso assim? Outros, infelizmente, acabam prejudicando a sua comunhão com Deus, pois deixam de ler a Bíblia e orar, pois todo o tempo é gasto com as redes sociais. Se as redes estiverem atrapalhando a sua comunhão com Deus é hora de colocar o pé no freio e parar. A falta de comunhão com Deus leva a mornidão espiritual, e uma das piores coisas que pode acontecer conosco é nos tornarmos crentes mornos: "Mas, porque são apenas mornos, nem frios nem quentes, vou logo vomitá-los da minha boca" (Ap 3.16). Em qual "temperatura" você está?

Pode parecer exagero, mas na China o problema foi diagnosticado como uma doença. É a chamada IAD (sigla em inglês para distúrbio de atenção de internet).

Alguns jovens têm que ser internados pelas famílias para tratamento. Tudo que vicia e escraviza o homem não procede de Deus, mas, sim, do Diabo. A Bíblia diz que ele veio para matar, roubar e destruir, mas Jesus veio ao mundo para nos libertar e nos dar vida abundante (Jo 10.10). É triste, mas segundo um estudo do Hospital das Clínicas de São Paulo, divulgado recentemente no Brasil, já são 8 milhões de viciados em internet. Algo realmente preocupante e alarmante.

AUXÍLIO DIDÁTICO
Professor, leia com atenção as dicas de Michael Ross para acessar a internet e as redes sociais. Em classe, informe os seus alunos a respeito das dicas e discuta com eles cada uma delas.

Dicas de sobrevivência na internet
1) Não use o computador depois que o resto da família estiver na cama.Assim como as ruas da cidade, a Internet é mais perigosa quando atravessada no escuro.

2) Seja sábio. Isso é particularmente verdade na Internet: Não fale com estranhos.

3) Proteja a privacidade de sua família. Nunca divulgue o seu nome, endereço, número de telefone ou qualquer outra informação pessoal na Web.

4) Nunca vá conhecer alguém pessoalmente sozinho. Se você descobrir alguém na rede com quem queira se encontrar no mundo real, tenha certeza de que seus pais estão com você e certifique-se de que o encontro aconteça em local público.

5) Nunca acesse sites pornográficos. Satanás tentará lhe falar o contrário, especialmente no calor do momento, mas tais sites são perigosos para a sua alma e seu futuro matrimônio.

6) Ouça sua mãe e seu pai. Quando eles lhe pedirem para se desconectar, faça-o.

7) Socialize-se. Faça pelo menos uma atividade social não relacionada com computador, com pessoas reais. (ROSS, Michael. Cresci e agora? 1ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p. 169).

FAZENDO UMA LEITURA CRÍTICA
Diante de tontos malefícios, fica a pergunta: É lícito interagir com as redes sociais? Para o cristão, todos as coisas são lícitas, mas nem tudo é proveitoso ou edificante (1Co 10.23). Devemos fazer uso do universo online com prudência e discernimento. Podemos desfrutar das redes sociais, desde que sejamos cuidadosos e tenhamos limites. É importante ressaltar que, nas mídias sociais, encontramos pessoas que possuem todo o tipo de ideologia, além de comunicarem suas crenças e valores. Michael Palmer, no livro Panorama do Pensamento Cristão, diz que "os cristãos que veem a cultura de mídia de entretenimento têm de apender a ler essas imagens e rejeitar as que são incompatíveis com os padrões cristãos e a Escritura". Esse é o problema. Quantas crianças, jovens e adolescentes conseguem fazer essa leitura? E difícil! Precisam ser ensinado s a fazer isso. Será que você faz essa leitura? Ou será que ingere tudo sem questionamento?

AUXILIO DIDÁTICO
Professor, não deixe de pesquisar e comentar com os alunos a respeito do movimento Black Bloc que vem crescendo no Brasil. Tal movimento eclodiu nas manifestações que ocorreram no mês de junho em todo o Brasil, em 2013, e acabou crescendo devido às redes sociais, pois os encontros são marcados por intermédio da rede, que ajuda a disseminar o ideal do movimento num curto espaço de tempo. Segundo o pesquisador e professor da USP, Pablo Ortelhado, esta denominação, Black Bloc, surgiu na Alemanha lá pela década de 80. No início o objetivo era uma ecologia radical. A partir dos anos 90 o movimento chegou aos EUA e se tornou símbolo de ataque às grandes corporações financeiras e midiáticas.
Promova um debate com os alunos a respeito deste movimento. Vocês podem discutiras seguintes questões: "Qual deve ser a postura do crente diante deste movimento?" "Black Bloc são vândalos ou pessoas com um ideal político?"

 RECAPITULANDO
As redes sociais não são essencialmente boas ou más. Depende muito do uso que você vai fazer delas. Utiliza-a para ajudar as pessoas, evangelizar e glorificar o nome do Senhor. Examine tudo, mas retenha somente o que é bom e reto, valorizando o que é carreto. Se Jesus hoje fosse entrar no seu perfil, você teria algo do que se envergonhar? Pense nisso!

Refletindo
1.  Para você, qual o objetivo das redes
R: Para o crente o objetivo deve se estabelecer relacionamentos saudáveis.
2. Destaque alguns pontos negativos e como devemos nos relacionar nas redes sociais.
R: Deixar de orar e ler a Bíblia para ficar nas redes sociais é um dos pontos negativos; precisamos nos relacionar  com sabedoria e discernimento.
3. Você se relaciona criticamente como a mídia?
R: Resposta pessoal.


Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 3° trimestre de 2017, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD